Com a escassez, saca do tucumã chega a ser vendida a mil reais no Amazonas

O aumento no preço transformou o tucumã em um produto quase tão valioso quanto ouro

Ingrediente indispensável no café da manhã dos amazonenses, principalmente no famoso x-caboquinho e na tapioca, o tucumã está escasso em Manaus nos últimos dias. Com isso, o preço do fruto está altíssimo, chegando a custar até mil reais a saca, segundo feirantes.

O produto, segundo os feirantes, que antes eram comprado pelo valor de R$70 a R$80 o quilo, passou para R$200. Um permissionário da Feira da Banana, com mais de 15 anos de experiência, relatou que parou de comercializar o tucumã devido ao aumento exorbitante no preço da saca, que atualmente varia de R$ 800 a até R$ 1 mil reais.

Ele afirma que esta é a primeira vez que o tucumã alcança valores tão altos, dificultando até mesmo informar o preço ao cliente. O aumento no preço transformou o tucumã em um produto quase tão valioso quanto ouro.

Segundo o gerente de Apoio à Produção Vegetal (GPV) do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Luiz Herval, a safra da cultura do tucumã ocorre entre os meses de janeiro e maio, portanto, é um período em que se está encaminhando para o final da safra.

Isso indica que a queda na oferta do produto se deu pela questão de entressafra, que corresponde ao período pós-colheita até o início de um novo plantio.

LEIA MAIS:  Luana Piovani é detonada na web após se posicionar contra mulheres trans em competições femininas