Em meio à pandemia, empresas buscam apoio para reestruturação financeira

Restaurantes, supermercados, hotéis e postos de combustíveis relatam que sofreram perdas significativas durante a pandemia. 

O relatório “Pulso Empresa: Impacto da Covid-19 nas empresas”, produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, mostra que mais de 500 mil corporações fecharam as portas nos primeiros três meses de pandemia. Esses dados abrangem empresas que fecharam de forma definitiva ou temporariamente. Passados mais de 12 meses em que o novo Coronavírus assola o mundo, os dados foram crescendo. 

Em agosto, 33,5% das empresas em funcionamento reportaram que a pandemia teve um efeito negativo sobre a empresa. Porém, 28,5% relataram ter identificado um efeito positivo durante o período. Dois dos setores consultados foram o comércio e os serviços, como restaurantes, supermercados, hotéis e postos de combustíveis. Entre os prestadores de serviços, cerca de 70% informaram um efeito positivo ou inexistente em seus negócios. No comércio, esse número chegou a 64%.

Além disso, segundo dados do Mapa de Empresas, do Ministério da Economia, houve um aumento no número de aberturas de novas empresas. Enquanto 331,5 mil corporações encerraram seus CNPJs até outubro, mais de um milhão foram abertos no mesmo período. O número de aberturas foi o maior desde 2010, a maioria por Microempreendedores Individuais.

Todas essas empresas podem precisar de Crédito Empresarial e Captação de Recursos em linhas de financiamento e capital de giro para iniciar, manter ou expandir seus negócios. Em janeiro deste ano, o Copom manteve a taxa Selic em 2% ao ano. Assim, captações e créditos tornaram-se mais atrativos, uma vez que sua base de cálculo de juros utiliza essa taxa.

Com foco no apoio de recursos financeiros para empresas, a NSE — Negócios em Soluções Empresariais, que atua em todo território nacional, desenvolveu a expertise em estruturar esses projetos. Tudo isso acompanhado de profissionais especializados em defesa técnica em comitê institucional, com assistência do início ao fim. “A defesa técnica é uma apresentação do projeto elaborado pela NSE, pelo agenciador financeiro, perante ao comitê institucional e tem a intenção de exemplificar todo o potencial de crescimento da organização e a relevância do capital pleiteado para os objetivos da empresa”, relata Camila Ferreira, gerente comercial da NSE. 

LEIA MAIS:  INSS começa a pagar nesta sexta décimo terceiro antecipado

Somando essa capacidade de gestão dos projetos às novas resoluções sobre taxas, surge a oportunidade de se fazer novos investimentos. Isso vale para empresas que estejam iniciando, que estão buscando novos recursos financeiros ou que desejam aumentar suas atividades e expandir seu alcance por meio de inovação. 

“A NSE apoia seus clientes por intermédio de Governança Corporativa, projeto para capital e assessoria empresarial. Iniciamos o relacionamento com nossos clientes entendendo qual objetivo o empresário possui para o futuro da empresa. Nossa equipe multidisciplinar valida a situação real da empresa e desenha um projeto personalizado. Nossa equipe é composta por economistas, advogados, contadores e analistas financeiros. A combinação da nossa expertise, a transparência no processo e a aliança com nossos clientes garantem o sucesso da operação”, conta Camila.

A interlocução com órgãos públicos é um dos principais pontos facilitadores trazidos pela Governança Corporativa. O objetivo é facilitar processos e ajudar na identificação de potenciais pontos de sucesso, principalmente, na cidade sede da corporação. Além disso, essa estratégia acentua melhores opções para logística, reformas e considerações sustentáveis.

Com um grupo econômico que possui mais de 10 anos de atuação no mundo corporativo, a holding econômica busca ajudar médias e grandes empresas, potencializando seus resultados através da atuação. A corporação auxilia desde a reestruturação de crédito de empresas, até a implementação e o assessoramento em projetos econômicos e financeiros para captação de linhas de crédito. Durante a pandemia, o trabalho se intensificou. 

“Com a pandemia, muitas empresas têm buscado maneiras de ter fôlego e conseguir se manter em meio a imprevisibilidade. Por isso, temos alcançado a pulverização da nossa atuação a nível nacional. Com muito esforço e dedicação, estamos alavancando nossos negócios e conseguindo amparar muitos empresários”, relata a gerente comercial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *