Enfermeira não poderá recorrer da condenação por assassinato de 7 bebês

A enfermeira Lucy Letby, que assassinou sete bebês e tentou matar outros seis enquanto trabalhava na unidade neonatal do Hospital Countess of Chester, entre junho de 2015 e junho de 2016, no Reino Unido, viu a autorização para recorrer da sua condenação ser negada.

A mulher — que foi condenada a 14 penas de prisão perpétua em agosto — tinha apresentado quatro fundamentos de recurso, sendo que em cada um dos quais alegava que o juiz tinha recusado erradamente um pedido feito em seu nome durante o julgamento, revelou a estação de televisão Sky News.

Vale lembrar que a enfermeira, que se recusou a estar presente na leitura da sentença, cometeu os crimes no Hospital Condessa de Chester, entre junho de 2015 e junho de 2016. Contudo, e apesar das suspeitas, Lucy Letby não foi demitida da unidade de saúde, nem denunciada às autoridades. Ao invés, foi suspensa do cargo de enfermeira e passou a desempenhar funções administrativas.

Após anos de investigação, a enfermeira, atualmente com 33 anos, foi detida pela primeira vez, em 2018, tendo sido formalmente acusada em 2020 por sete crimes de homicídio e sete acusações de tentativa de homicídio.

LEIA MAIS:  Incentivos a semicondutores serão analisados pelo Senado