Líder do governo pede a Lira que anule convocação de Braga Netto feita por comissão da Câmara

O líder do governo na Câmara dos DeputadosRicardo Barros (PP-PR), pediu ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), que anule a convocação do ministro da Defesa, Braga Netto, aprovada pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC).

A convocação foi aprovada em 31 de março. Pelo requerimento, Braga Netto terá que explicar a compra, pelas Forças Armadas, de produtos como picanha, cerveja, bacalhau, carvão e filé de salmão. Por se tratar de convocação, o ministro é obrigado a comparecer à comissão.

Ricardo Barros argumenta que Braga Netto ainda não havia tomado posse no cargo quando o requerimento foi aprovado e que, por isso, no entendimento do líder do governo, houve “desvio de finalidade”.

Segundo o Ministério da Defesa, Braga Netto tomou posse no cargo em 6 de abril. No entanto, a nomeação foi publicada no “Diário Oficial” em 30 de março.

No mesmo dia da nomeação, portanto em 30 de março, Braga Netto divulgou a ordem do dia sobre os 57 anos do golpe militar de 1964. Um dias depois, o ministro chamou a imprensa à sede da pasta para anunciar os novos comandantes das Forças Armadas.

LEIA MAIS:  Maioria dos brasileiros apoia semana de quatro dias, aponta DataSenado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *