Mulher morta por marido fisiculturista teve tufos de cabelo arrancados na raiz

A vítima também teve oito costelas quebradas, além da clavícula e lesões no rosto e no lado esquerdo do crânio

Detalhes da morte de Marcela Luise de Sousa Ferreira foram revelados em um relatório médico solicitado pela Polícia Civil (PC). A mulher morreu após ser agredida pelo marido, o fisiculturista Igor Porto Galvão.

O crime aconteceu em Goiás. O relatório mostra que Marcela teve “grande quantidade de cabelo” arrancada pela raiz. A vítima também apresentava lesões graves no crânio, clavícula e costelas.

Marcela ainda ficou 10 dias internadas em um hospital. Ela foi levada até a unidade hospitalar pelo próprio fisiculturista, que chegou a dizer que a mulher tinha caído em casa.

Com a mulher internado e inconsciente, o fisiculturista fez questão de compartilhar nas suas redes sociais uma declaração.

“A saudade e a angústia que não acaba mais. Você tem que voltar logo”, escreveu o homem. O hospital entrou em contato com a polícia após estranharem a versão dada pelo marido.

Em 17 de maio, o fisiculturista foi preso e está sendo acusado de feminicídio. Ele também teve um habeas corpus negado devido à violência extrema que levaram a morte de Marcela, conforme decisão do desembargador Wild Afonso Ogawa.

De acordo com os médicos, Marcela sofreu uma convulsão ao chegar ao hospital, necessitando de uma tomografia cerebral, que revelou uma hemorragia.

Os médicos levaram imediatamente a vítima para o centro cirúrgico, onde realizaram a drenagem de um hematoma e a retirada de parte do crânio para permitir a expansão do cérebro devido ao surto.

Marcela teve oito costelas quebradas, além da clavícula e lesões no rosto e no lado esquerdo do crânio. A polícia iniciou as investigações e, segundo os depoimentos, Marcele vivia com medo do marido.

LEIA MAIS:  Luana Piovani é detonada na web após se posicionar contra mulheres trans em competições femininas

Segundo as testemunhas, a mulher já havia sido agredida fisicamente e verbalmente pelo fisiculturista. Mensagens de WhatsApp entre Marcela e uma amiga demonstraram o desespero e a angústia que ela vivia em seu relacionamento.

Em uma das mensagens, Marcela desabafou: “Será que eu nunca vou ter paz na minha vida?! Ou só vou ter quando ficar longe dele?”

O fisiculturista está preso em Aparecida de Goiânia. A investigação continua, com a Polícia Civil reunindo mais provas para levar o caso a julgamento.