No primeiro mês sem auxílio emergencial, economia cresce 1%

Mesmo com o fim do auxílio emergencial em dezembro, a atividade econômica cresceu 1% em janeiro na comparação com o mês anterior, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado nesta segunda-feira.

Sem assistência: Sem trabalho ou auxílio, milhões de brasileiros podem perder acesso aos benefícios do INSS

O primeiro mês do ano continuou na trajetória de retomada iniciada após tombos recordes em março e abril do ano passado, os meses que registraram o maior impacto econômico da pandemia. As quedas de 5,8% e 9,1%, respectivamente, foram seguidas de nove meses de crescimento seguidos.

Apesar dessa trajetória, a retomada ainda não foi suficiente para compensar as quedas históricas. No ano passado, o maior crescimento registrado em um mês foi em junho, quando o IBC-Br teve alta de 5,4%. Depois disso, os números não passaram de 2,4% e nos últimos meses de 2020 ficaram abaixo de 1%. Nos últimos 12 meses, a economia recuou 4%.

LEIA MAIS:  Manicures têm direito a benefícios pagos pelo INSS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *