Intercambistas de vários países fazem imersão cultural e ecológica na Amazônia

‘Explorando a Amazônia 2024’ apresentou aos estudantes da Itália, Dinamarca, Tailândia, Holanda, Canadá e Islândia as belezas da região

Estudantes intercambistas da Itália, Dinamarca, Tailândia, Holanda, Canadá e Islândia participaram entre os dias 27 e 31 de março do programa: ‘Explorando a Amazônia 2024’. A iniciativa proporciona uma imersão cultural e ecológica na região amazônica por meio de experiências que destacam a riqueza natural e a diversidade cultural da capital amazonense.

Conforme o voluntário e Presidente do Comitê Manaus da AFS Intercultura Brasil, o empreendedor e pedagogo amazonense Jhony Abreu, a ideia surgiu da necessidade de promover uma conexão mais profunda entre os participantes e o ambiente amazônico.

“O programa foi todo estruturado em atividades que explorassem a história, a cultura e a biodiversidade local, promovendo uma consciência ambiental e intercultural”, explica Jhony Abreu.

Segundo ele, em 2023, foi realizado um projeto-piloto e que atendeu as expectativas da proposta apresentada pelo programa de forma muito positiva e este ano uma programação cuidadosamente planejada foi construída para cobrir uma variedade de experiências educativas e recreativas, abrangendo desde passeios fluviais que revelam a majestosa vida selvagem e ecossistemas únicos da região, até visitas a locais históricos e culturais que contam a história da Amazônia e de suas comunidades, foi aplicada com o grupo de estudantes.

“Cada atividade teve um motivo que no geral era oferecer aos participantes uma compreensão holística e multidimensional da importância global da Amazônia”, afirma Jhony Abreu.

Ainda de acordo com o presidente, o programa acolhe um número diversificado de alunos, variando em nacionalidades, o que enriquece a experiência ao promover um intercâmbio cultural entre os participantes.

“Esses alunos estão realizando o intercâmbio em outros comitês de capitais e cidades brasileiras e o “Explorando a Amazônia 2024” é realmente uma imersão e uma oportunidade de fomentar um ambiente de aprendizado mútuo, onde os participantes não apenas exploram a Amazônia, mas também compartilham suas próprias culturas e perspectivas”, analisa.

LEIA MAIS:  Ambulância fica destruída em acidente com carro em cruzamento na Praça 14, em Manaus

Para a estudante italiana de 17 anos, Marta Mureddu, a participação no programa foi válida porque representa uma oportunidade única de aprendizado, aventura e contribuição social, alinhando-se aos valores de intercâmbio cultural, educação ambiental e inclusão social que o AFS promove globalmente.

“Eu achei o projeto importante, pois é necessário mostrar também a cultura e a natureza da Amazônia, pois é um lugar único no mundo. E foi fascinante poder viver essa experiência”, aponta.